Renata, Rêca, Rê, Mãe Solteira & Solteira e a procura!

33 anos, nascida em 25/06 do longíquo ano de 1979. Teoricamente sob o signo de câncer, apesar de não botar fé nestas coisas.

Complicadíssima, com um gênio forte, e um humor tão variável conforme os níveis de hormônios circulando pelo corpo.

Com uma tatuagem em cada pé, no tornozelo, no pescoço, nos pulsos, Luiza no ombro esquerdo e outras planejadas para o futuro, que espera seja próximo.

Paulista do Grande ABC, há mais de 10 anos refugiada no interior de SP, depois de já ter morado no Paraná e Japão.

Nutricionista por acaso do destino, Gerente de Restaurante Empresarial, caseira, serie-maníaca assumida, escritora em Stand by, fotógrafa por paixão e glutona por algum fator ainda não identificado.

Mãe da Luiza, que só nasceu depois de 41 semanas e 3 dias, de parto normal, que doeu pra cacete, fruto de uma aventura devido um fogo consumidor.

Depois disto, minha vida nunca mais foi a mesma, e temos uma relação tipo matrimônio, na saúde e na doença, nas noites maldormidas, nas birras, nas descobertas, e maravilhas do dia-a-dia juntas em todos os momentos, até que a vida nos separe.

Temos uma rotina cansativa, mas com amigos especiais, uma família muito da louca, vivendo um dia de cada vez.







Luiza, Lu, Lulu, 8 anos, nascida em 22/08/2004, sob o signo de Leão, que por acaso ou não, é perfeito para sua personalidade forte, gênio nem sempre domável, ânsia de aprender, inteligência aguçada, paixão pelas artes, que se considera um centro gravitacional.

Estudante do 3º ano, lendo, vivendo e aprendendo!

Menina esperta, que só dormiu uma noite inteira com quase 3 anos, quando foi despachada para a própria cama e quarto, onde hoje dorme muito bem, obrigada!
A TV é um vício. O computador nem tanto. Adora fazer artersanatos. Desenha e recorta que é uma maravilha!

Estudante de ballet, que espera o festival anual com ansiedade!

Andou aos 11 Meses, falou antes disto, desmamou aos 22, desfraldou aos 29, aprendeu as letras do nome aos quase 3 anos e neste tempo muita coisa boa nos aconteceu, estando registrada em algum de nossos blogs, nos links lá embaixo.





Retrato em Sépia - Isabel Allende

Lidos já tem algum tempo

- 50 tons mais escuros
- 50 tons de Cinza
- Toda Sua
- A estrela + brilhante do céu
- A passagem
- Mini Becky Bloom: Tal mãe Tal filha
- A Senhora do Jogo
- O Símbolo Perdido
- Sepulcro
- Trilogia Força Sigma
- Samantha Sweet, Executiva do Lar



** Rêca Zucher e sua cybershot **

** Luiza em Foco **

¤ Fotoblog 2007-08 ¤


¤ Fotoblog 2006-07 ¤

¤ Fotoblog 2005 ¤

¤ FotoBlog 2004¤

¤ Fotoblog Gravidez 2¤

¤ Fotoblog Gravidez 1¤


¤ Rêca ¤

¤ Luiza ¤

¤Amamos a Luiza¤

¤Eu Leio o Diário de uma BlogMãe¤








arquivo



Visitante(s) On Line!

eXTReMe Tracker









Copyright © 2009 -
Proibida reprodução total ou parcial







Domingo, Setembro 23, 2012

Nada com um dia após o outro, ou as vezes até o mesmo...

Depois de uma terça-feira caótica, tão trágica que chegou a ser engraçada (veja ali embaixo), ela terminou de modo hilário e a minha sanidade agradeceu.

Ri tanto, mas tanto, que todas a tensões e frustações do dia se foram, desanuviando meu horizonte carregado de nuvens negras.

Eu saio do trabalho feito uma louca, com o tempo de estrada cronometrado, onde tenho 1:20 para pegar Luiza no colégio, com uma tolerância de 20 minutos caso aconteça algum imprevisto no trajeto (geralmente acontece e me atraso).

Neste dia consegui pega-la no horário, e ela estava toda contente, pois havia feito um brinquedinho de bexiga com farinha de trigo, que é uma delícia de ficar apertando. (Os 80tistas certamente tiveram um deste)

Por chegar no horário, tinhamos 10 minutos para ir comprar uma Havaianas pra mim, pois a minha estava em petição de miséria e com combinação calor+piscina, precisava mesmo.

Depois de uma volta no quarteirão, encontrei um lugar para estacionar. Parei, desci e esperei Luiza fazer o mesmo para trancar o carro, mas ela nunca que saia. Quando fui chama-la de Vó Maria (minha avó que demorava horrores para sair do carro e meu pai reclamava), ouvi uns gritos abafados vindo de dentro do carro e quando olhei pelo vidro escuro, parecia que ela estava com o rosto todo branco, e estava mesmo.

Abri a porta correndo, coloquei ela na calçada e comei a rir, rir, rir, tanto que não conseguia ajuda-la. (estou rindo enquanto escrevo)

O brinquedo havia estourado e toda a farinha de trigo voou no rosto e cabelo dela, que tentava limpar, mas não evoluia, pois estava com os olhos tapados de farinha.

A situação era bizarra, imagine a criança no centro da cidade, coberta de farinha, parecendo o Gasparzinho e uma mãe louca que não conseguia parar de rir. As pessoas passavam e não entendiam nada afinal de onde havia saído aquele pó branco? Uma senhora até disse: "Olha a criança toda suja e a mãe não para de rir".

Fazia tempo que eu não ria tanto e demorei alguns minutos para me recompr e conseguir limpa-la. Quando fui assoprar os olhos, estava que era uma nata de farinha. Comprei uma agua para ela lavar o rosto e quando chegamos na Casa dos Chinelos já estavam baixando as portas, mas deu tempo de comprar.

Fui na casa dos meus pais devolver o carro emprestado e contei a história 4 vezes,conforme o povo ia chegando, meu pai, irmão, irmã e amiga, minha mãe e todas as vezes que o fiz, me acabei de rir.

No fim até Luiza riu e foi uma pena eu não ter tirado uma foto hahahaha



Escrito pela:Rêca Zucher as 13:34 h
Opine, critique, exista:


Quarta-feira, Setembro 19, 2012

Escrever para não enlouquecer....

Tem muito tempo que eu não escrevo e isto é reflexo da instrospecção que tenho vivido, com pouco escrita, pouca conversa e fases alternadas com muitas imagens.

Sempre fui muito verborrágica na escrita, porém aos poucos isto cessou. Não sei se foram os 30 anos, a maturidade, a correria ou o cansaço que me deixaram assim, talvez a junção de tudo isto, e foi por isto que passei todo este tempo em silêncio.

De uns dias para cá voltei a sentir vontade de colocar para fora as coisas que ficam rodopiando em minha cabeça, mas a preguiça falou mais alto e deixei para lá, mas hoje pensei, porque não?

Na verdade até andei escrevendo, mas só em pensamento, sem coragem para transcrever o que se passava em minha mente.

Tenho dirigo muito e divago por horas, tanto que muitas vezes passo da entrada e erro o caminho de tão "viajante" que estou.

Por 2 anos e 2 meses fiz o mesmo caminho de ida e volta ao trabalho, e a rotina é algo que se arraiga no meu DNA e passo a digir no piloto automático. Então agora que mudei de rota, as vezes me pego indo para o lugar anterior, precisando pegar o proximo retorno e retomar o caminho.

Estou trabalhando mais perto, porém demoro mais para chegar devido ao transito e isto é algo que me estressa profundamente, fico de mau humor, tensa, com dor no corpo, mas respirei fundo e resolvi que não irei me desgastar com isto, algo do tipo "Senhor, dê-me serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar"...

O porque de tudo isto?

É que ontem meu carro foi para a oficina trocar a embreagem que estava no osso, assim que o oficina abriu meu pai estava lá. Na hora do almoço passou para ver se estava tudo certo para o carro ficar pronto naquele dia e disseram que sim, as 16:30 disseram que ao montar o câmbio viram que a peça comprada era diferente da que precisavam e não daria para terminar, pois o fornecedor só conseguiria para o dia seguinte.

Foi um efeito dominó:meu pai teve que buscar Luiza no colégio, levar e buscar no ballet, para aí me entregar em casa.

Para o dia de hoje nos programamos assim: Bilica nos pegaria as 07:20 (chegou 07:30), deixaríamos Luiza no colégio, depois ela no trabalho e eu iria para Campo Limpo Paulista, que pra mim até omde o Judas perdeu as botas é mais perto e fácil de chegar.

Indo pela estrada a fora, bem sozinha, me ligaram da empresa avisando que a auditora de Qualidade, Segurança Alimentar e Meio Ambiente estava lá. Continuei dentro do limite de velocidade irritante de 80 - 100 Km/h, com um velocímetro com mau contato, e quando vi a placa do pedágio"choquei", pois só aí me lembrei que estava com o carro do meu pai, que não tem Sem Parar , eu sem dinheiro algum na carteira, que aliás, nunca tenho, o último retorno já havia passado E agora José?

Tive que dizer à simpática cobradora que eu não tinha dinheiro, ela perguntou se poderia retornar e eu disse que sim. Pediu minha CNH, e quando estava preenchendo os dados da desprevinida no sistema, me sai do carro de trás um policial, todo grosso e mau educado, falando um monte de palavrões, pois precisava passar.

Veio a fiscal e disse para ele esperar, pois o procedimento tinha que ser feito. Me entregou o cupom para retornar em 15 min até o outro lado. Retornei e fui até a cidade tirar dinheiro. Dei uma de Pollyna, pois por pior que fosse a situação, cidade era perto e o banco bem no retorno.

Dinheiro na mão, "pé-neus" na estrada, repassei pelo pegágio, PAGUEI e voltei a divagar admirando minhas unhas pintadas com um esmalte holográfico prata/perolado lindo de viver, presente da minha prima Dani. Então me lembrei que se a auditora estava na empresa, eu não poderia aparecer por lá com aquelas unhas parecendo um globo de discoteca dos anos 80.

Olhei no relógio para ver se realmente ainda era a manhã de 3ª feira e eu já tinha passado por tudo isto.

Nova missão, encontrar uma farmacia para comprar acetona e algodão. Por incrível que pareça, não havia nenhuma no caminho e tive que desviar o trajeto e passar no mercado. Itens comprados, e foi com muita dor no coração que limpei as unhas.

O meu crachá, ficou no carro que estava na oficina e tive que fazer um provisório para entrar na empresa e assim quase 2:30 depois consegui chegar ao meu destino.

Até as 16:00 o carro ainda não estava pronto.

Acho melhor fazer o restante da oração que comecei ali em cima:

...Coragem para modificar aquelas que podemos e Sabedoria para distinguirmos umas das outras.Amém...

Falta muito para a semana acabar?



Escrito pela:Rêca Zucher as 22:38 h
Opine, critique, exista:


Sexta-feira, Agosto 12, 2011

Um pouco de Muito...

Eu sei que neste ano prometi vir aqui com mais frequencia, porém como sempre, não cumpri o prometido! Portando agora eu prometo que não prometerei mais! rs... Em uma frase com tantas promessas certamente alguma delas será cumprida.

Para quem se pergunta se eu já mudei a resposta é NÃO. SIM, um NÃO simples e bem conformado.

Sabe como é reforma? Pois é... Sabe como é pedreiro? Então... Sabe como a grana está curta? Também...

As coisas aconteceram e estão caminhando, porém fluiram com menos rapidez do que eu imaginava de inicio e olha que coloquei prazos longos, e por fim eu decidi não gastar energia com coisas desnecessárias, muito menos alimentar raiva com situações incontroláveis.

Me resignei, abstraí e adiei minha mudança para final de Novembro e começo de Dezembro, quando sairei de férias e nestes dias em casa, sem pressa, sem tumulto, aproveitarei para fazer a mudança sem pressa, colocar as coisas no lugar e pintar uma parede listrada com Luiza.

Luiza quer uma parede listrada e nós faremos nas férias. Quão lineares e simétricas estas listras ficarão é um mistério que só so futuro nos dirá.

Falando em Luiza, dia 22 ela fará 7 anos e pela primeira vez nos seus quase 7 anos de vida não haverá festão. Claro que haverá bolo na escola, bolo em casa, mas nada naquela minha concepção de festa para os amigos.

Triste? É, eu sei e Luiza demorou a se conformar, mas no meio de reforma, moveis e utensilios para a casa nova uma festa ficou realmente inviável e aí coloquei a questão para ela: "Você quer uma festa que dura um dia ou uma televisão que vai te acompanhar por muito tempo?" Depois de um bico gigantesco e muito pensar decidiu pela Televisão, Rosa, de LED, 26' para o quarto que ainda nem está pronto. Antes que mudasse de idéia entrei na internet, aproveitei uma promoção do Magazine Luiza e lá se foram R$ 1019,00.

Mais borocoxô que Luiza ficou eu e Bilica, porque nós duas sempre nos empolgamos e nos realizamos com o aniversário dela e a galera também fica perguntando quando será e se serão convidados. Independente de festa, quem quiser dar um presentinho nós agradecemos, porque a maior reclamação dela foi que não ganharia presentes rs...

No mais a vida segue seu curso, eu acabada de dirigir todos os dias 170 Km, porém feliz e conformada já que este trabalho distante foi/será minha carta de alforria e o brado de "Independência ou Morte"!

Depois de 1 ano e 3 meses no trabalhando na mesma unidade, além do cansaço em viajar, confesso que o "faniquito" começa a me pegar e a vontade de ser transferida fica latente.O ano fiscal termina no próximo mês e me dispus a ficar até ele acabar para terminar de cumprir minhas metas e garantir a participação de lucros. A partir de Outubro, assim que for possível gostaria de ser remanejada para a região onde moro, encarar novos desafios e principalmente parar de perder quase 2 horas na estrada todos os dias.

Sou uma pessoa de opostos e contraditória, pois ADORO uma zona de conforto, mas O dia a dia me entedia absurdamente, e pior que o tédio são as irritações que as miudezas da rotina me causam, onde decididamente lidar com pessoas é a pior parte do meu trabalho e bom seria se houvesse um botão/remédio/lobotomia que controlasse a fofocaiada e a mania de se preocupar com a vida alheia. Perco tanto tempo apaziguando e aguentando estas coisas que em alguns dias minha vontade de com toda edudação mandar tudo e todos para um lugar bem bonito! Em fase de TPM esta vontade é constante e por muitas vezes eu preciso engolir em seco, respirar fundo, contar até 1056568591024800 para não perder a razão.

Em mais de 5 anos de empresa e tendo trabalhado em diversas unidades, o lugar onde estou hoje é muito bom, porém viajar todo dia já me cansou e em muitos dias a vontade de sair de casa é tão grande quanto a de cortar a ponta do dedo, e enquanto uma transferência não sai "pela estrada afora eu vou bem sozinha..."



Escrito pela:Rêca Zucher as 12:38 h
Opine, critique, exista:


Quarta-feira, Março 23, 2011

Fevereiro! Uh! Uh! Alegria! Aiaiiiii! Muita festa! Uh! Uh!

Fevereiro foi um mês que o blog passou em branco e senti que se não mudasse logo esta situação, o restante do ano iria pelo mesmo caminho.

O blog em branco não significa que minha vida tenha sido igual, e tiveram algumas situações que vale a pena recapitular, compartilhar e registrar.

E se há uma palavra chave para definir Fevereiro 2011, seria REENCONTRO.

Os reencontros começaram bem no início do mês quando fui intimada pela minha Gerente a ir para São Paulo em um curso de 3 dias. Aproveitei a viagem para rever meus "afilhadinhos", pois não nos víamos desde o aniversário da Luiza de 5 anos, em agosto de 2009, ou seja, 1 ano e meio atrás. Também havia o fato vergonhoso de ainda não conhecer o apartamento deles. Juntei negócios e prazer e em uma das noites fui visitá-los, ainda mais com Luciana gravidinha, a espera do João Gabriel.

Depois foi Patrícia que veio da Inglaterra passar férias sem os filhos, e no dia 11 eu, ela, Val e Pri das Fadas nos encontramos no Parque Dom Pedro para tomar algumas margaritas, comer e fofocar. Foi tão delicioso que decidimos repetir a dose em família e imediatamente, para não ficar naquela de temos que marcar, precisamos fazer mais vezes e blá blá blá...

Marcamos um churrasco com piscina em casa, aproveitando aqueles dias de calor escaldante e foi ótimo.

Estavam presentes Eu com Luiza, Pri das Fadas com Istamir (marido), João & Marias (Alice e Clara), Rejane com Amanda e Anna Vitória, Silvia com marido (esqueci o nome dele !?!) e Carol, Karina e Henrique. Dona Val furou de ultima hora e não veio com marido Rodrigo Antônio e Isadora, assim como Uiara que estava de mal humor e nos privou de sua compania com Sueli hahahaha

Dizer que foi tudo de bom não seria justo, porque foi mais do que ótimo, delicioso, com as crianças brincando juntas o tempo todo, sem brigar, fazendo a gente crer que estamos acertando na educação deles. Relembramos o primeiro encontro em casa, há 5 anos atrás, onde o unico bebê que andava era a Sueli da Uiara. Enquanto filhos brincaram, claro que nós comemos, tendo um dia muito agradável. Espero repetir a dose em Abril!



Escrito pela:Rêca Zucher as 22:08 h
Opine, critique, exista:


Quarta-feira, Março 16, 2011

Quem casa quer casa, e quem não casa também!

Chame de chatice, de megalomia, de rabugentisse, aliás, chame do que quiser, mas eu ADORO e preciso de silêncio, de casa quieta, de ficar comigo mesma. É fato, para esta pessoa que vos escreve, que nenhuma compania é mais prazeirosa do que própria.

Quando eu tinha uns 14 anos e odiava meus irmãos mais novos eu sonhava ardentemente em morar sozinha.Passava horas divagando, imaginando meu canto próprio, silencioso e solitário.

Cultivei esta idéia por muito tempo, e por algumas vezes morei só com Bilica no Japão. Nesta época eu tinha uns 20 - 22 anos e foi uma boa experiência, principalmente para crescer e amadurecer. Ralei bastante na terra do Sol Nascente para fazer um pé de meia e comprar um cantinho, coisa que fiz.

Quando retornei ao Brasil, a vida em família prosseguiu, porém aquela casa cheia sempre me oprimiu, mas 3 anos após nosso retorno ela voltou a esvaziar aos poucos, primeiro meus pais retornaram ao Japão, depois meu irmão e por fim Bilica, que foi a ultima a ir e a primeira a voltar, me dando uma folga de 1 ano. Por fim, em Maio de 2010 meu irmão retornou e desde então a casa ficou cheia, com eu e Luiza dormindo no mesmo quarto, sem lugar no guarda-roupa para acomodar as coisas devidamente e aquele típico "furdunço" familiar.

Então em uma casa com mais 4 adultos (5 comigo), uma criança e uma cachorra, convenhamos que ficar sozinha e em silêncio é algo impossível. Some a isto uma irmã desorganizada, super simpática, que fala pelo telefone fixo, pelo celular, pelo computador, pessoalmente com as pessoas que trás para casa e o caos está instalado.

Aí pense que está irmã calça o mesmo numero que você e usa seus sapatos, acaba com os saltos, rala os bicos, os calcanhares, as laterais, as vezes também perde o que você compra e quando você vai pegar aquele sapato, o mesmo desapareceu sem deixar vestígios e ela jura de pés juntos (calçados com algum outro sapato seu) que não foi ela.

A mesma pessoa que destrói os sapatos, revira os guarda-roupas, as gavetas, e há muito tempo eu desisti de manter qualquer coisa arrumada ou no lugar, porque sei que ao procurar não estará onde deixei.

Quanto mais o tempo passa e a idade avança, aquele sonho da adolescência retorna. Os 3 anos que morei sem os pais reforçam que é possível, e que se morei sozinha com Luiza aos 2 anos, porque não daria certo agora que ela tem 7 ???

Em Maio do ano passado quando eu mudei (Mudei, mas não mudei, é a mesma empresa, mas outro lugar) de emprego e me candidatei a ir trabalhar há 85 Km de casa, o motivo maior era para finalmente conquistar uma independência financeira e assim mudar com Luiza, porém eu tinha muitas dívidas, contas de cartão de crédito e aquela máxima se fez verdade, quanto mais a gente ganha, mais a gente gasta.

2010 foi um ano que meu pai me irritou profundamente com os negócios dele envolvendos os meus, porque enquanto eu pensava em mudar e imaginava se isto um dia iria acontecer, ele trocou a casa que teoricamente era minha. Pegou outra em troca, uma diferença em $, mas eu não quis nem ir ver, porque sabia que iria passar muita raiva.

Aproveitando a deixa que falei das dívidas e há tempos quero postar sobre isto, em Dezembro resolvi que em 2011 iria acertar minhas contas, parar de utilizar o limite do banco, que aliás eu contava como dinheiro normal e as vezes ao receber o salário nem cobria o saldo devedor do especial. Usei o 13º para cobrir o limite e foi maravilhoso sacar dinheiro no caixa eletrônico e ele não perguntar se eu tinha certeza do saque, porque era do limite rs...

Janeiro foi um mês de contenção de despesas, porque se eu queria continuar não devendo ao banco alguns sacrifícios seriam necessários. Praticamente não saí, porque qualquer ida a padaria na esquina envolvem valores monetários e meu objetivo era conter a sangria financeira.

Com a cabeça avoada e estressada no trabalho, perdi o prazo do parcelamento do IPVA e acabei pagando o valor integral em Fevereiro. Menos mal, doeu de uma vez só e ano que vem farei do mesmo modo, mas com o desconto.

No início de Março fiz uma consulta para saber a situação do meu nome e só havia uma negativação no SCPC. Eu sabia do que era e resolvi negociar. Pensei muito e por fim resolvi fazer em 2 parcelas, assim terminaria mais rapido. Confesso que doeu, afinal duas parcelas de R$ 1256,00 de coisas que não faço a mínima idéia do eram, não é algo para se ignorar, mas é uma lição válida!

Por causa deste acordo atualmente estou com o saldo no vermelho, mas com o nome "limpo", e uma única dívida que será quitada até sexta-feira, quando as coisas se normalizam e ainda sobrará um troco, com o qual pretendo começar a comprar os eletrodomésticos mais caros de uma casa.

Ahhhhh sim! Junto com a resolução de acertar as contas, e ver que isto era possível sim, bastando eu melhor administrar, veio a certeza de mudar. Minha família sempre me ajudou muito com Luiza, e eu não os trocaria por marido algum, mas para manter a sanidade geral é preciso mais espaço.

Fui conhecer a casa e era menos pior do que eu pensava, perto (se bem que aqui nada é longe), e com uma reforma atenderia bem as nossas necessidades. Pedimos em Janeiro para a inquilina desocupar e isto aconteceu no meio de Fevereiro.

Quando fui ver a casa vazia, eu não sabia se ria ou se chorava, porque se não fosse tão trágico, seria até engraçado!

Depois de conversar com o pedreiro e meu pai, ver as necessidades para deixar o local habitável, demos o Start no quebra a quebra e agora aguardamos a boa vontade do pedreiro terminar uma outra obra para começar esta.

O que precisa ser feito?

Trocar todas as janelas, que já foram retiradas e a novas compradas. Construir mais um quarto com banheiro, reformar todo o banheiro existente. Quebrar algumas paredes, abrir porta onde não tem, alargar a garagem, trocar o telhado da garagem, refazer a lavanderia, trocar todo o piso da casa e quintal, arrumar as paredes, pintar tudo, descobrir o corredor lateral, trocar portas e batentes, arrumar e automatizar o portão, e como eu disse ao pedreiro, na verdade só não vai derrubar as paredes e o telhado da casa, porque todo o restante tem que ser reformado.

Não sei quanto irá demorar tudo isto, depende de verba, pedreiros, pintores e afins, mas estou dando um prazo até Junho, mês em que também faço aniversário. É, são os 32 chegando...

Com isto, no mês passado comecei a comprar os utensilios para cozinha, cama, mesa e banho.

O que mais comprei ate agora foram utensílios para cozinha, pois não tenho nada e acostumada em uma casa que tem de tudo e mais um pouco, preciso montar meu arsenal. Também tenho aproveitado algumas promoções e outro dia comprei 4 travesseiros e um jogo de toalha de banho para Luiza.

Comentei sobre a mudança no FB e as meninas agitaram um Chá de Cozinha/Panela/Casa on line. Gostei da idéia e não é porque não irei casar que não precisarei das coisas. Aliás, eu irei casar sim, comigo mesmo, com Luiza e toda ajuda será bem vinda, porque montar uma casa do Zero não está sendo nada fácil.

Outro dia fui pesquisar preço de móveis e eletrodomésticos, fiquei chocada. Voltei para casa deprimida e pensando, será que as coisas estão muito caras ou eu que ganho pouco??

Então fiz uma lista no Wal Mart, pois está com Frete Grátis e preços ótimos! Será um presente duplo, de Chá de Cozinha e Aniversário. Pensei em fazer o tradicional Chá de Panelas, com sorteio, mas achei melhor deixar vocês escolherem o que quiserem e independente de valores, adorei a idéia e principalmente o carinho, e independente de valores tudo o que está lá será muitooooooooo útil e um pedacinho da amizade de vocês no meu dia a dia...

Para acessar a lista, basta acessar aqui na Lista Chá de Casa e Aniversário .



Escrito pela:Rêca Zucher as 23:15 h
Opine, critique, exista:


Segunda-feira, Janeiro 31, 2011

Volta as Aulas !

E as Férias escolares chegaram ao fim... Aleluia, amém... e apesar dos 40 dias em casa, não posso reclamar de Luiza, pois mesmo não viajando ela se comportou e divertiu muito, com os dias escaldantes na piscina, com passeios na casa de amigas, familiares, idas ao shopping, cinema, comer fora.

As aulas retornaram na quinta-feira passada (27/01).Dia meio estranho para voltar, né? Estranho, mas muito válido, pois assim nestes 2 dias eles exibem os novos materiais, reencontram os amigos, falam das férias, conhecem a nova professora, enfim, se organizam para que na 2ª Feira (hoje) as aulas comecem efetivamente.

Como disse a própria Luiza "Vô, eu já tô no 2º ano, e nem parece!". Realmente não parece.

Será o 4º ano que Luiza estudará neste colégio e não tenho do que falar ou reclamar. O ensino é ótimo, foi o melhor colégio classificado no ENEM da região. Ela adora e eu também.

Apesar de ser um colégio grande, que vai até o ensino médio, as professoras e funcionários são muito acolhedoras e ao meu ver isto faz toda a diferença. Carinho, aconchego, atenção são coisas que fazem toda a diferença, ainda mais quando se trabalha fora e conta muito com a escola para o filho ficar bem assistido durante o dia.

Outro dia no FB, ficamos discutindo em um grupo sobre a troca de mochilas e pela primeira vez Luiza usará a mesma do ano anterior. Tanto a mochila, quanto a lancheira estavam semi-novas, custaram um bom dinheiro (mesmo tendo sido presentes do Papai Noel) e achei uma boa idéia não termos este gasto. Água, Sabão e bucha foram os investimentos! Aproveitando a mão de obra infantil não qualificada para ajudar no serviço enquanto brincavam na piscina rs...

Eu adoro comprar itens de papelaria e já falei sobre isto várias vezes aqui, mas este ano me abstive deste trabalho prazeiroso e Luiza foi com o pai.

Porque homem é tão sem noção nestas coisas? Eu tive o trabalho de ler toda a lista de material, de anotar os itens que ela já tinha em casa, de salientar outras coisas e passei tudo isto por email, que não foi lido. Ou seja, apareceram com vários itens repetidos e outros sem comprar. Grrrr...

Fora isto, tudo correu bem, conseguimos estar com o material em ordem na data. Entreguei os coletivos, encapei e etiquei os individuais e como sempre me assustei com a quantidade de livros!

Confesso que já gostei mais de encapar livros, mas ainda me orgulho das minhas capas com Contact!



P.S: E Janeiro chegou ao fim com um saldo de 6 posts. Nada mal, né?



Escrito pela:Rêca Zucher as 21:22 h
Opine, critique, exista:


Segunda-feira, Janeiro 24, 2011

Sábado de Sol...

O Sábado amanheceu ensolarado, aquele tipo de sol "estralando", porque ainda não eram 10 horas e já estávamos suando em bicas.

Precisei ir ao centro da cidade, coisa que em geral já me incomoda e aos sábados se torna insuportável, sem lugar para estacionar e aquela multidão desenfreada que não sei o que tanto compra.

Luiza que havia ido junto, pediu para pegar a Flávia, assim teria compania para brincar e nadar, coisa que minha pessoa agradece, porque criança pedindo amigo para brincar o dia todo ninguém merece, e mesmo com a tonelada de brinquedos em casa sempre quer uma compania.

Abre aspas para falar de outro assunto e fugir do post: "Seria isto o mal dos filhos-unicos? Porque eu não lembro de ficar pedindo amigos para ir em casa, até porque tinha mais 2 irmãos, um monte de primos, primos dos primos e até os 9 anos morei em um condomínio onde havia um monte de crianças."

Temos piscina em casa e Luiza nada praticamente todos os dias, mas é coisa rara eu fazer uso dela, porque é o cabelo que fica uma bucha, é entrar na água para começar a ventar, é ter que trocar de roupa para voltar para dentro de casa. Coisas de gente envelhecida, crica e preguiçosa rs..., mas sábado resolvi fazer compania à ela e Flávia, porque o dia pedia um refresco.

Eu tenho verdadeira paixão por Mojito, porque é super refrescante, de fácil preparo, não embebeda rápido e neste calor que tem feito é uma ótima pedida.

Para quem não sabe, poupando a googleada básica, o Mojito é um coquetel à base de rum branco originário de Cuba.
Esse cocktail com mais de 100 anos não está tão bem documentado, mas sabe-se que floresceu na noite de Havana usando ingredientes nativos do Caribe. Os ingredientes são, além do Rum, o açucar, hortelã, limão e club soda.

Minha receita é modificada, porque eu não gosto de club soda, pois acho que fica doce demais, então substituo por água com gás, mas quem gostar, pode colocar Sprite, H2O ou similares.

Ingredientes
1 dose Rum Branco (50 ml - Bacardi ou Montilla)
1 limão
1 colher (sopa) de açúcar
2 doses de Água com Gás ( 100 ml )
8 folhas de hortelã (adoro o frescor e o sabor marcante, por isto coloco mais que o normal)

Modo de Preparo
1) Colocar as folhas de hortelã em um copo (alto ede fundo grosso), jogar por cima açúcar e macerar bem. O segredo de um mojito saboroso é o amassar bem do hortelã com açucar.
2) Cortar o limão ao meio e espremer sobre o hortelã macerado com açucar.
3) Encher o copo c/ cubos de gelo, de preferência aquele industrializado que demora mais para derreter, ou cubos grandes feitos em casa.
5) Adicionar o Rum.
6) Completar c/ a água com gás.
7) Servir c/ canudo.

Eu não misturo, porque gosto do hortelá no fundo do copo. E uma boa dica é não demorar muito para beber, porque o gelo vai derretendo e deixa a bebida aguada.

Sempre que Luiza vai na casa da avó me trás um maço de hortelã e eu faço bom uso rs... e uma garrafa de Rum apesar de ser das mais baratas, entre R$ 20 e R$ 30 , dura bastante.

No sábado eu fazendo meu Mojito e Luiza e Flávia de olho. Resolvi fazer um para elas também, SEM o Rum e não é que adoraram?!? Ficando um suco super refrescante e ideal para o calor que estava fazendo.

Então fica a dica para quem tem filhos como Luiza, sem restrições ou frescuras alimentares, que adora um sabor diferenciado, ama suco e se diverte com nossas experiências na cozinha.



E para quem pediu a receita dos bolos, a do Fubá Cremoso está aqui e a de Cenoura ali !

Dicas:
- No bolo de Fubá, só depois de ter batido os ingredientes acrescente o Queijo ralado GROSSO e o Coco Ralado GROSSO também, junto com o fermento em pó, dando umas pulsadas. Nada de deixar batendo a vida inteira.

- No bolo de Cenoura, quanto mais cenoura se colaca, mais "solado" e molhadinho ele fica. Quando menos cenoura, mais fofinho e a dica do fermento é a mesma!



Escrito pela:Rêca Zucher as 21:07 h
Opine, critique, exista:


Sexta-feira, Janeiro 21, 2011

Mimos & Coisinhas de Mulher

Ser mimada é muito bom e poder se auto-mimar melhor ainda!

2011 começou gentil, pois justo eu que nunca ganho nada (todo mundo diz isto), nem rifa de quermesse, ganhei o sorteio da MAC no Brindo a Vida .Vale a pena abrir aspas para falar um pouco deste blog, ou melhor, de sua dona, a Nanda.

"Conheci Nanda há alguns bons anos atrás, na época em que carregávamos umas meninas em nossas barrigas, no meu caso Luiza, e no dela a Gabi. Ela tinha um blog, o Idealizando, e eu a achava uma mulher incrível, tanto pela identificação de também ser Mãe Solteira, quanto pelo fato de morar no Acre (SIM, no ACRE) e ainda escrever textos um tanto quanto ácidos e ótimos (hahaha). O tempo passou, as coisas mudaram, o blog dela também e hoje ela está balonada, Mãe Meio Solteira de uma filha de 6 anos, mais forte do que nunca e admirável como sempre!"

Quando comentei no blog para participar do sorteio, rolou uma brincadeira para enganar o random, porque eu não sou boba de ignonar o Blot Powder da Mac ! Afinal é fato que só tenho maquiagem MAC quando ganho de alguém que foi para fora do Brasil.

Só para esclarecer, pegando o descritivo do site da Sack's, o Blot Powder/PressedUm é pó compacto concebido principalmente para controlar a oleosidade e reduzir o brilho da superfície da pele. Fixa a base, dá acabamento ao rosto sem adicionar cor ou textura. É indicado para utilização em situações profissionais para frequentes retoques. Blot Powder contém Mica e Sílica para absorver o excesso de oleosidade da pele e reduzir o brilho da superfície da pele. Pode ser aplicado com sua esponja ou com um pincel para pós.

E qual não foi minha ótimaaaaaa e luxuosa surpresa receber um email dizendo que havia ganho! E não foi marmelada, goiabada, nem bananada como a oposição anda dizendo por aí rs...

Após algumas trocas de email, na terça-feira recebi meu Mimo, sem custo algum, na cor que escolhi, a Dark, que deu certinho com minha pele de verão. E se o produto é bom? É ÓTIMO! Valendo a pena investir.



Preciso falar aqui sobre meu Projeto: Contendo os gastos pessoais e as Sandices financeiras, mas como ninguém é de ferro e este ano eu ainda não havia me dado nada, quarta-feira a tardinha fui ao shopping e não resisti a sapatilha da C&A. Linda, barata (R$ 69,90), colorful, moderna, macia e super confortável.Já estreiada e aprovada.



E você, já se mimou hoje?

Não precisa ser algo comprável,de valor monetário, quer ver???

É um auto-mimo:

- Arrumar um tempo para si, seja um dia, algumas horas, ou até um banho mais prolongado que os 3 minutos diários habituais;

- Fazer algo que há muito tempo você deseja mas nunca arruma tempo, ou coragem, como caminhar ao ar livre ou mandar seu chefe ir (pra PQP) perseguir outra pessoa, porque você já teve sua cota este mês.

- Tomar um taça ou copo de uma bebida qualquer ao chegar em casa, ainda de uniforme, mas que ajuda a dar um relaxada total numa sexta-feira.

- Dormir além da conta no sábado.

- Ler um bom livro emprestado da amiga (mas por favor, devolva depois).

- Ficar na cama de bobeira com a cria, sentindo o cheirinho de Bom Dia.

Enfim, dedique-se a você sempre que possível, e se parecer impossível, lembre-se que VOCÊ PODE, porque você MERECE e eu também rs...



Escrito pela:Rêca Zucher as 21:24 h
Opine, critique, exista:


Domingo, Janeiro 16, 2011

Conversas na Cozinha

Eu sou uma boa dona de casa, quando quero, estou com vontade ou preciso.

Em geral eu não preciso, não quero, nem estou com vontade hahahaha Estas são umas das várias vantagens de morar com os pais e quando eles não moravam comigo sempre houve uma secretária do lar.

Eu já cozinhei muito, minha mãe me obrigava na adolescência e eu acabei pegando birra. Eu sei fazer, adoro comer, mas só faço em última instância.

Hoje tenho o agravante que trabalho em restaurante e eu só penso nos que as pessoas ou eu querem comer. Imagino os pratos, os detalhes, instruo o pessoal, coloco o cardápio lá na parede, as coisas simplesmente surgem diariamente e é só degustar rs...

Isto me deixou ainda mais preguiçosa em relação a cozinhar e quando faço algo sinto uma falta absurda das ajudante, do fato de mandar, acompanhar a execução e quase não colocar a mão na massa. Eu esqueço que algumas etapas exigem tempo e paciência, coisas com as quais não tenho muito afinidade.

Cozinhar é algo tão simples e não entendo pessoas que não cozinham. Entendo pessoas que não gostam como eu, que não precisam, mas não que não sabem rs...

É pura química, combinada com altas doses de magia e sentimentos. Tempo e paciência também são essenciais dependendo do prato.

Junta o ovo, a farinha, o fermento e mais alguns ingredientes, bate tudo no liquidificador, badeira ou não, coloca no forno e "bummmmm", eis um bolo.

Por mais simples que seja ler uma receita e misturar tudo, se não estiver com vontade o negócio desanda, o bolo "sola", a comida salga. É bem aquilo que cantam na propaganda, É o amor...

Assisto muitos programas de Chef de cozinha e acho aquilo um luxo, uma delícia e realmente uma arte. Se eu tivesse um pouco mais de paciência faria um curso de gastronomia. Porque uma coisa é comida para

Há dias eu estava com vontade de comer um bolo de Fubá Cremoso, com um café bem forte, então chamei Luiza para me ajudar. Ela não gosta muito do bolo de fubá e quis fazer de cenoura, então fizemos 2 bolos.

Enquanto eu fiz o de Fubá ela foi descascando as cenouras e untou a forma pra mim. Eu li a receita e ela executou todo o bolo que era de liquidificador, só recebendo ajuda na hora de bater e colocar no forno, pois como Luiza disse, criança não pode chegar perto do fogão.

Nossos bolos ficaram DELICIOSOS e o de fubá é um acompanhou todo minha vida e eu nunca tinha feito.

Mais do que não gostar de cozinha, eu realmente ODEIO lavar louça e não é que sabado lavei toda a do almoço enquanto esperava os bolos assarem!

Abaixo seguem as fotos de nossa tarde na cozinha. O restante está lá no FB.



Escrito pela:Rêca Zucher as 20:02 h
Opine, critique, exista:




Fim de Ano, é aqui...

Comecei este post no dia 02 e só hoje consegui terminar! E foi tanto tempo ausente, que merecemos um Querido Diário...

Nosso final de ano foi ótimo, bem familiar, sem grandes planos, sem expectativa alguma e talvez por isto tão gostoso.

Depois de 5 anos com a família dividida, sempre tinha alguém do outro lado do mundo (literalmente), conseguimos reunir todos, isto porque somos em 6 pessoas. O unico Reveillon da familia toda com Luiza havia sido de 2004 para 2005 e naquele tempo tinhámos outra percepção da vida e situações.

Natal e Ano Novo são datas que sempre remetem muito a infância, é uma época naturalmente nostálgica, carinhosa,de reflexões e que nos faz viajar no tempo.

Lembro bem que quando éramos pequemos nunca fomos de fazer ceia de vespera e sim grandes almoços no dia de Natal e Ano Novo. Recordo das minhas tias indo passar a vespera nas sogras, ou as vezes a gente indo na minha avó materna, mas eu não entendia direito esta pré-comemoração, já que a data comemorativa era no dia seguinte, mas em meio a estas lembranças todas são os almoços na minha avó materna que fazem parte da história, tanto pelas comilanças, quanto pelas brincadeiras ou brigas homéricas hahahaha

Fomos os primeiros da Família a sair de São Bernardo, e a vida seguiu seu fluxo, com cada um indo morar em um lugar,construindo suas próprias famílias e comemorando seus finais de ano com eles.

Nunca tivemos árvore de Natal em casa, mas na minha avó materna sempre tinha, de pinheiro natural e é tão vívida aquele imagem das bolas vermelhas e pratas vítreas, que acabavam sempre em milhares de pedacinhos, com os adultos correndo para acudir e ninguém se cortar.

Trabalhei até o dia 23/12, então combinei com minha mãe que faríamos ceia de Natal, mas nada de exagero. Cozinharíamos apenas no dia e nada de passar o dia enfurnada na cozinha. Começamos a preparar as coisas umas 16:30 e as 19 fomos tomar banho e nos arrumar. Minha mãe ainda temperou as carnes de manhã e como adora uma cozinha, de ultima hora trufou e confeitou 3 panetones.No dia anterior Luiza e avó fizeram cookies confeitados que foram nossos mimos para os amigos.

Depois que Luiza nasceu e passou a entender comprei uma arvore de Natal e passamos a montar todo ano, mas neste eu estava bem cansada, desanimada, e foi Luiza que começou a montar as coisas, decorou a arvore e espalhou a decoração. Também foi a pedido dela que fizemos amigo secreto, porque todo ano ela pedia de última hora e não dava tempo.

O amigo secreto foi uma festa a parte, e ela estava ansiosa mais por ele do que qualquer coisas. Luiza me tirou, eu tirei a Maris, que tirou o Jr., que tirou Mamãe, que tirou Bilica, que tirou Papai, que tirou o Gu, que tirou Luiza.

Não esperamos meia-noite para ceiar, porque Bilica trabalha na Balada e entra as 23:00 e dormir ou sair com a barriga depois de jantar tarde assim é o Óh! Passamos nós, mais os "sem família" Maris e o Gu e uma amiga de Mamãe com os 2 filhos. Simples, divertido e muito bom!

Luiza foi no Pai dela e na ausência o Papai Noel passou, mas ela tinha ganho tanto presente ultimamente por causa do dia das crianças e o aniversário atrasado, que nem sabia o que queria, e o que queria, Nintendo DS, ficou para a proxima!Ganhou vários jogos, que ocupam menos espaço, dá para brincar com amigos e família, e um carrinho para a filha Isabela.

No dia 25, acordamos tarde, iríamos fazer churrasco, mas sobrou tanta comida que comemos os restos da ceia. Passamos o resto do dia na piscina no Gu.

A semana foi clima total de férias, quanto menos eu fazia, menos queria fazer, e nem planejei ir à lugar algum, pois nesta época eu me estresso devido as multidões que entopem as praias e lotam os lugares, deixando tudo naquela de ala-temporada. Sou velha, chata e ranzinza, detestando o corpo-corpo dos lugares lotados.


O reveillon foi chegando, trazendo o ano novo, e assim como o Natal combinamos de última hora, repetindo o tudo de bom, com a diferença que fomos para a balada. Jantamos cedo, Luiza logo dormiu e resolvemos passar a virada na Anzu. Maris foi dirigindo a 80 por hora e quando chegamos lá estranhei não haver fila de carros para entrar, já que Bilica tinha ligado dizendo que estava cheio. Não havia filas de carros porque faltavam 4 minutos para Meia Noite. Estacionamos e corremos para a portaria. Bilica nos viu, fez sinal de espera com a mão e entrou correndo, para sair a meia noite em ponto, com taças de Chandon para brindarmos.

Na portaria que ela trabalha (camarotes), havia uma fila imensa de pessoas para entrar, que passou a virada na espera rs... Nós ganhamos champagne, curtirmos a queima de fogos, brindamos, nos abraçamos, fazendo a alegria de Bilica que sempre passa as viradas sozinhas, tendo que abraçar estranhos ou o segurança hahahaha Desta vez havia família e amigos! Entramos e curtimos a primeira madrugada de 2011 com vários amigos que encontramos lá.

No dia 01, meu avô iria vir, mas acabou vindo no dia 2, e tivemos um repeteco de muita preguiça.

Luiza não achou graça no Reveillon e disse que "deveria também ter assim, é, uma pessoa que vem e tras alguma coisinha!" hahahahaha ou seja um Papai Noel mais modesto.

Fiquei de férias até até dia 09, voltando bem descansada ao batente no dia 10!

E vamos que 2011 já está todo vapor! E eu volto com outro post ainda esta semana!



Escrito pela:Rêca Zucher as 15:50 h
Opine, critique, exista:


Domingo, Janeiro 02, 2011

2010/2011

Comecei o ano com a cabeça fervilhando de ideias para escrever, na balada, com taças e taças de Salton e Chandon, feliz, feliz, rodeada pelos amigos queridos e Luiza dormindo em casa há muito tempo...

Na verdade as idéias nunca me deram trégua, porém sempre as desculpas para não escrever eram maiores e mais fortes, como a falta de tempo, a cadeira de casa que é desconfortável e não dá apoio aos braços, a preguiça, e um recolhimento interno involuntário, fazendo com que em 2010 tivéssemos APENAS 9 posts escritos. Então juntado as resoluções de Ano novo (abaixo), com o clamor das meninas no FB, e a minha vontade, acho que estou de volta.

Não vou ficar falando e me lamentando sobre 2010, aliás um dos poucos posts foi sobre isto, sobre a esquisitice do ano. Nem bom, nem ruim, ESQUISITO.

Minhas resoluções de Ano Novo foram só coisas não-materiais, e somado a tudo aquilo faltou o essencial, que não é uma resolução, mas dois desejos do mais profundo do coração, orado e pedido a Deus.

PAZ & SAÚDE !!!

Eu realmente preciso de PAZ e foi no ano que passou onde descobri que PAZ é essencial. Com PAZ de Espírito, de Corpo e Alma, eu fluo bem, consigo administrar minha vida, minha carreira e tudo se torna detalhes. E com saúde é possível correr atrás do restante.

No mundo capitalista que vivemos as pessoas se preocupam muito com as coisas materiais, desejam bens palpáveis, monetários e eu seria hipócrita se dissesse que também não os quero, mas assim, isto não vem em primeiro plano, não faz parte da minha lista de prioridades. Essencial para um bom ano é ser Feliz, educar minha filha, ver minha família e amigos bem, estar rodeada por aqueles que amo e me amam (coisa não muito fácil kkkk)

Se a viagem para o nordeste acontecer, ótimo! Se eu conseguir ir visitar alguma amiga maravilhoso. Se eu puder mudar para uma casa só minha, o ano terá sido esplêndido, e se nada disto acontecer, não fará diferença alguma, desde que as outras coisas acima tenham acontecido.

Escrever é expressão de sentimentos, de impressões, é transformar em palavras o que vai lá na alma, ou na cabeça surtada rs... e também exige treino e eu estou meio enferrujada, mas chego lá!

As BlogMães, ex e associadas estão a todo vapor no FB, se você era desta turma, junte-se a nós e enjoy!

Porque o ano não será 10, mas ONZE! (trocadilho infame hahahaha)



Escrito pela:Rêca Zucher as 16:39 h
Opine, critique, exista:


Sexta-feira, Dezembro 31, 2010



Escrito pela:Rêca Zucher as 16:25 h
Opine, critique, exista:


Terça-feira, Outubro 19, 2010

Dia das Crianças

Há 6 anos qualquer data comemorativa onde o comércio vai a loucura, aqui em casa é um festival de presentes e o dia 12 de Outubro não seria diferente.

Não sei como as outras famílias fazem ou se organizam, mas é fato provado e compravado que uma criança, ser pequeno, que não deveria ocupar muito espaço físico com seus 51 cm iniciais, faz com que os metros de área construída de uma casa sejam reduzidos tão drasticamente.

De iníco veio o berço, o moisés, a banheira com pé, o carrinho, o andador, o cadeirão, a cadeirinha do carro, os tapetes de atividades, os brinquedos grandes, a motoca...

Mudou-se de fase e veio a bicicleta, o patins, o patinete, a mesinha com cadeiras, a geladeira, o fogão, a pia, as louças, as bonecas, o carrinho das bonecas, o berço das bonecas, o carrinho de gemeos das bonecas, a infinidade de Barbies, a casa da Barbie, os jogos, as fábricas de massinhas, as Pollys e um monteeeeeeeeeeeeee de miudezas que parecem brotar dos lugares onde ficam os brinquedos.

É brinquedo dentro do guarda-roupa, dentro da estante, dentro do armário do computador, no quartinho dos fundos e até dentro do banheiro!

Três vezes ao ano, todas as datas no 2º Semestre, os estoque de brinquedos e quinquilharias é acrescido com o Aniversário em Agosto, o Dia das Crianças em Outrubro e o Natal em Dezembro, então pelo menos três vezes ao ano eu faço um "rapa" nos brinquedos da Luiza e encaminho para doação. Algumas vezes ela participa da triagen, outras não e em outras tudo é muitooooooo negocioado, como neste ultimo dia das Crianças.

Fui taxativa, para cada brinquedo que entrasse, um teria que sair. Brinquedo bom, usuável, para doação, pois sempre expliquei e continuo reforçando que enquanto ela fica contabilizando quantos brinquedos ganhou (e ainda perde a conta) algumas crianças não ganham nada e aquele brinquedo que fica ali "mocozado" em algum canto da casa, pelo simples prazer de ter, pode fazer a alegria de alguém.

Na esquina da casa da avó do coração fica nossa parada obrigatória, onde uma família há 20 anos arrecada brinquedos para o Natal. Pode ser novo, usado e sempre alguns empresários doam um monte de bolas e bonecas simples. Com as doações em mãos, eles alugam um caminhão, se vestem de Papai Noel e saem pelos bairros pobres da cidade distribuindo os brinquedos.

No dia 12 a tarde, com os brinquedos novos dentro do carro, fomos com o porta-malas abastecido entregar as doações.

Bom para quem doa, ótimo para quem ganha e melhor ainda para a família que continua tendo algum espaço para transitar dentro de casa e um lugar para sentar no sofá!



Escrito pela:Rêca Zucher as 22:57 h
Opine, critique, exista:


Sábado, Outubro 02, 2010

E o ano me levou...

Esta semana, tarde da noite, ja adentrando a madrugada (o que deixa muito mais pensativa que o habitual), conversando com um amigo concluí que perdi a capacidade de me despir com palavras e toda esta falta de texto, ausência, sumiço, tem sido reflexo desta incapacidade de ficar nua publicamente.

2010 tem sido um ano estranho, atípico, nem bom, nem ruim, mas bem esquisito.

Já é Outubro? E não lembro de muita coisa.

Não lembro de nenhum evento marcante.

Não lembro o que comi ontem.

Não lembro onde fui.

Se fui, não lembro com quem.

Não lembro se beijei alguém.(É, acho que não ?!!)

Não lembro se fiz sexo.

Se fiz, foi muito ruim para não lembrar.

Não lembro se não lembro, ou se não lembro porque não me concentro e penso.

Tenho a sensação dos dias passando em brancas nuvens, aliás, nem tão brancas assim, com este tempo nublado, chuvoso, que pede Vale a Pena Ver de Novo com Sessão da Tarde e uma cochilada no meio.

As vezes me sinto no meio de um filme ruim, onde o personagem acorda, trabalha, volta para casa, dorme e nada acontece.

A unica coisa que tem mudado e ficado registrada é Luiza crescendo e dizendo coisas hilárias.

- Mãe, eu não sou hipocondríaca, eu só gosto de tomar remédio.
- Mãe, eu quero fazer Pole dance.
- Mãe, vc não vai mostrar esta foto para ninguem, nem colocar em lugar nenhum, né?
- Mãe, a Dilma não parece um homem???

Teria sido eu lobotomizada pela quantidade absurda de seriados que tenho visto neste ano?

Numbers, Entourage, Drop Dead Diva, White Collar, Warehouse 13, Life Unexpected, Castle, How I Met Your Mother, Glee, Parenthood, Fringe, The Mentalist, Desperate Housewives, Brothers & Sisters e outras que não vejo na sequencia...

Ah, sei lá!

É preciso mudar algumas coisas, só que falta vontarde e o ano já está terminando, então fica para o próximo, e digo isto agora, para não ser apenas uma promessa de Ano Novo! (se bem que meu ano fiscal começa no dia 01/10! hahaha)



Escrito pela:Rêca Zucher as 17:34 h
Opine, critique, exista:


Segunda-feira, Agosto 30, 2010

É tudo improviso, vamô improvisar...

Luiza fez 6 anos no dia 22/08 e voltar ao blog para falar disto acho que é um ótimo motivo.

Não poderia simplesmente entrar neste assunto sem antes falar de outros, que nos levaram a esta situação.

2010 tem sido um ano estranho, não que isto signifique que seja ruim, mas desde a última vez que escrevi mudei de emprego, que continua sendo para a mesma empresa, mas em outra cidade, outro contexto, outro salário (maior é claro), e que mesmo assim o saldo bancário permanece sangrento, esvaindo-se durante o mês todo.

Tenho ido e voltado trabalhar diariamente, mas em outra cidade, há exatos 81,2 Km para ir, e mais 80,4 Km para voltar. Não é longe, mas para quem destesta dirigir pode não ser algo tãoa agradável assim, mas me acostumei e uso este tempo para higiene mental diária.

Ao me candidatar a vaga pensei em mudar de imediato, porém interromper o ano letivo da Luiza que está todo pago, deixar o ballett (que mais pesou na decisão), e enfrentar um novo local de trabalho, cheio de desafios (entenda problemas) seria demais para esta que vos escreve.

Sendo assim negociei nossa mudança e consegui 8 meses de experiência para adaptação e ver se é isto que eu quero, o que a empresa quer, e se o cliente concorda. As coisas tem fluído muito bem, o cliente está satisfeito, resolvi as pendências graves que existiam e agora estamos tentando entrar na rotina.

Se é cansativo? Muitooooo!! Se está valendo a pena? Simmmmmmmmm... Se está dando certo??? Também!!!

Estou nisto há quase 4 meses e nos primeiros foi bem corrido, "ralado" mesmo. Saindo cedo, chegando tarde e ter uma estrutura familiar completa para ajudar com Luiza foi e É essencial.

Por tudo isto e outras "cositas más", quando eu deveria estar a todo vapor resolvendo o aniversário da Luiza, eu estava é mudando de emprego, encarando uma reforma há menos de 1 mês da inauguração, com tudo para fazer e ainda uma escapada para Porto Seguro, com tudo se encaixando e dando certo no final.

Luiza festeira que é (não sei para quem puxou), se pudesse faria um aniversário por trimestre, pediu uma "festa de calor", com futebol de Sabão e piscina. E como fazer isto em Agosto, onde todo ano no dia da festa há sol, porém um vento enregelante?

Propus adiar a festa para Novembro e ela aceitou numa boa. Bom para ela que terá os desejos realizados, ótimo para eu poder me organizar.

Claro que não poderíamos deixar o dia oficial passar em branco, com ela em contagem regressiva. E assim fizemos a festinha na escolinha de manhã, e a festinha na escolinha a tarde, e a festinha no domingo em casa, porque veio com uma conversinha "e no dia do meu aniversário, não vai ter nada??? Nem um bolinho e umas bexigas???"

E foi aí que entrou o improviso, onde usamos todas as sobras possíveis e inimagináveis de material de festa que há em casa,, com muita improvisação, só comprando o que era essencial para completar. Era um pouco de bexiga de um, um pouco de chapéu de outro, um pouco de descartável disto, outro daquilo. Como disse Luiza, foi a festa do colorido em casa e da Sininho a tarde no colégio.

A festinha em casa deixei convidar as "best Friends" para brincar em casa, junto com alguns familiares e amigos, me fazendo lembrar o porque de nunca fazer aniversário de criança em casa!!!

Agora é arregaçar as mangar, porque Novembro já está aí!!



Escrito pela:Rêca Zucher as 21:27 h
Opine, critique, exista: